Mensagem do Presidente


A atividade econômica do país decresceu, a inflação e taxa de juros sofreram altas consecutivas e as taxas de desemprego em contínua elevação criaram um ambiente econômico pressionado por dificuldades, que impactaram a população e diferentes setores. Reflexo disso, a deterioração das condições do mercado, a menor expansão do crédito, aliado a um reajuste tarifário extraordinário, impactaram diretamente o consumo das famílias e, consequentemente, a produção das indústrias e o consumo de energia elétrica que, em 2015, retraiu 2,1% no Brasil em relação ao ano anterior, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Apesar dos impactos sofridos pelo setor elétrico, os resultados do Grupo Energisa de mantiveram em expansão em 2015, com 32.656,1 GWh de energia elétrica total comercializada, crescimento de 19,8% em relação a 2014, fruto fundamentalmente da aquisição do Grupo Rede em abril de 2014. Em uma comparação pró-forma, considerando-se todo o ano de 2014, o crescimento das vendas de energia foi de 0,1% em 2015. A receita operacional líquida consolidada somou R$ 11,9 bilhões, 44,2% maior na mesma base de comparação e, por sua vez, a geração operacional consolidada ajustada de caixa (EBITDA consolidado ajustado) totalizou R$ 2,4 bilhões, valor 43,8% superior. O lucro líquido consolidado foi de R$ 351,4 milhões, 15,3% maior em relação ao registrado em 2014.

Outro destaque do exercício foi a adequação do perfil do endividamento por meio de emissão de ações, debêntures e outras captações que asseguraram um aporte de cerca de R$ 3,5 bilhões, recursos indispensáveis à continuidade dos investimentos – que ao todo somam aproximadamente R$ 1,5 bilhão para 2016. Adicionalmente ao cuidado e disciplina na gestão operacional, em março de 2015 consolidamos a venda dos nossos ativos de geração de energia, o que resultou no aporte de R$ 2,7 bilhões, que também reforçaram nossa estrutura de capital e reduziram a alavancagem referente à aquisição do Grupo Rede, dando mais conforto e segurança à execução das nossas atividades. Mesmo com vultosos investimentos em 2015 que alcançaram R$ 1,6 bilhão, encerramos o exercício com um robusto saldo de caixa e equivalentes de caixa no montante de R$ 2,6 bilhões.

Nossa base de clientes e atuação em áreas de concessão diversificada e que historicamente mostram crescimento econômico acima da média nacional também são fatores que ajudam a mitigar os efeitos de uma grande retração de consumo. Temos nos dedicado desde a aquisição do Grupo Rede a uma grande mobilização interna voltada para integrar as empresas em torno de processos padronizados, da captura de ganhos de escala e do uso das melhores práticas. A integração das 13 distribuidoras do Grupo em uma plataforma unificada começa a tomar corpo trazendo benefícios concretos para consumidores por meio de maior eficiência e solidez financeira. Temos consciência que o ambiente do país e do setor permanecem incertos e se agrava como a maior crise econômica e política desde que a Companhia foi fundada, o que exige cautela e adequada gestão de riscos que podem impactar os negócios.

Nessas horas nos valemos da nossa experiência de mais de um século apoiando nosso planejamento e tomada de decisão, sempre prevenindo possíveis adversidades e buscando cada vez mais eficiência e resultados sólidos e seguros.

É assim que buscamos junto de nossos colaboradores, acionistas, fornecedores, parceiros e clientes construir um futuro promissor e sustentável. A todos esses, meu muito obrigado pela confiança e apoio.

Ivan Müller Botelho
Presidente do Conselho de Administração