Colaboradores

Gestão de pessoas

Bienalmente, o Grupo Energisa realiza Pesquisa de Clima Organizacional e, na última, em 2015, o índice de favorabilidade foi de 75% e duas empresas ficaram posicionadas no mais alto nível de favorabilidade da consultoria que realizou a pesquisa. Os resultados são amplamente comunicados a todos e são realizadas reuniões com gestores para desenho do plano de ação de clima, definindo ações de melhoria por área de negócio.

O Grupo Energisa conta com 11.940 colaboradores próprios, ativos em 2015, e 3.140 terceirizados, não considerando os empregados das empresas prestadoras de serviços de construção de redes e usinas.

Esses profissionais, que compõem o capital humano da Companhia, têm a atenção contínua do Grupo na rotina de gestão de pessoas, de maneira a garantir seu desenvolvimento e, consequentemente, uma gestão ágil e flexível que reflita na melhoria na qualidade dos serviços. Portanto, a Energisa oferece apoio estratégico para que possam crescer em conjunto com os objetivos e metas da empresa, promovendo sua gestão de recursos humanos.

Colaboradores dez/15 Total %
Nº de empregados(as) Ativos 11.940 -
Idade
Empregados até 30 anos de idade 4.839 40,53%
Empregados com idade entre 31 e 40 anos 4.600 38,53%
Empregados com idade entre 41 e 50 anos 1.525 12,77%
Empregados com idade superior a 50 anos 976 8,17%
Média de idade 35 -
Sexo
Nº de homens que trabalham na empresa 9.742 81,59%
Nº de mulheres que trabalham na empresa 2.198 18,41%
Tempo de Serviço
Até 1 ano 3.140 26,30%
De 1,01 a 3 anos 1.876 15,71%
De 3,01 a 5 anos 1.677 14,05%
Mais de 5,01 anos 5.247 43,94%
Tempo médio de serviço (Anos) 7 -
Escolaridade
Ensino Fundamental I completo (1ª a 4ª série) 89 0,75%
Ensino Fundamental II (5ª a 8ª série) 391 3,27%
Ensino Médio 8.394 70,30%
Ensino Superior, Especialização, Mestrado, etc. 3.066 25,68%

Treinamento e desenvolvimento profissional

Os programas de desenvolvimento e treinamento são destinados a todos os colaboradores e se segmentam entre treinamentos obrigatórios, de capacitação por cargos e de competências de gestão e liderança, que podem ser presenciais, a distancia e on the job.

Em 2015, o Grupo Energisa investiu cerca de R$ 4,2 milhões na oferta de 1.056.699 homens/hora de treinamento, sendo 32,1% (339.255 homens/hora de treinamento) à distância, no “Programa de Educação à Distância”.

Um dos principais destaques do ano em treinamentos foi a ampliação do Centro de Formação de Operadores, que busca atender às necessidades de padronização e capacitação da formação, reciclagem e certificação dos operadores do sistema elétrico das distribuidoras Energisa Minas Gerais, Energisa Nova Friburgo, Energisa Paraíba, Energisa Borborema e Energisa Sergipe.

A Energisa também mantém um programa de trainees para desenvolvimento de nova geração de líderes que, nos últimos quatro anos, reteve 46 talentos.

Processo de sucessão

O Grupo Energisa possui processo de sucessão estruturado, com o mapeamento dos talentos durante o ciclo de avaliação de desempenho por competências e a validação desses profissionais pelo Comitê de Sucessão durante as reuniões de calibragens que acontecem após a conclusão do processo de Avaliação.

Em 2015, cerca de 610 Líderes foram capacitados, totalizando 15.744 horas de treinamento para esse público.

Esse público passa pela Academia de Líderes, programa focado no desenvolvimento de competências dos líderes e sucessores a partir dos gaps identificados.

Em 2016, o investimento na liderança será continuado e adicionalmente será implantado o Programa de Desenvolvimento Acelerado, com o objetivo de acelerar os processos de desenvolvimento dos colaboradores identificados com sucessores e potenciais, bem como contribuir com a retenção desses profissionais.

Saúde, segurança e qualidade de vida

Considerada prioridade máxima dentro do Grupo e, portanto, presente entre seus valores, a segurança dos colaboradores é orientada pelo Plano de Segurança do Trabalho que define ações de prevenção de acidentes e promoção da saúde e segurança.

Dentre as principais iniciativas realizadas em 2015 com esses objetivos, destacam-se:

Segurança do trabalho

Saúde e qualidade de vida

Remuneração e benefícios

O Grupo Energisa possui uma política de remuneração e benefícios alinhada às práticas de mercado, a fim de reter e reconhecer seus talentos, à legislação trabalhista e aos acordos coletivos de cada categoria. Adicionalmente, a Companhia concede, a partir da avaliação anual de desempenho de seus colaboradores, reajustes salariais balizados por mérito, enquadramento ou equiparação.

Além disso, o Grupo Energisa possui política de remuneração variável. Para os níveis operacionais ao nível gerencial é utilizada a PLR (Participação de Lucros por Resultados). Do nível gerencial ao nível de direção é acrescentado o Programa de Remuneração por Resultados (PRR), que consiste em um instrumento empresarial e de motivação que estabelece desafios, atrelados ao processo de gerenciamento estratégico, buscando reconhecer o esforço dos participantes no cumprimento ou superação das metas estabelecidas, sendo um componente do sistema de remuneração estratégica do Grupo Energisa.

A política de remuneração da Companhia para os membros do Conselho de Administração, Diretoria Estatutária e Diretoria Não Estatutária está baseada nas seguintes premissas:

Em 2011 foi instituído o Comitê de Sucessão e Remuneração, ligado ao Conselho de Administração, visando manter uma política consistente para a remuneração dos administradores.

Benefícios

Além da remuneração alinhada às praticas do mercado o as empresas do Grupo Energisa também se preocupam com benefícios compatíveis para atrair e reter os colaborares. Os benefícios oferecidos pela Companhia são:

Avaliação de desempenho

O Grupo Energisa possui o programa de avaliação de desempenho como forma de distribuir a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e definir reajustes salariais. O programa é baseado nas competências essenciais para o alcance dos objetivos organizacionais e acontece, formalmente, uma vez por ano.

É realizada em meio eletrônico, com segurança e confidencialidade das informações, uma avaliação 360º para gestores e 180º para os demais colaboradores, considerando três etapas:

Em 2015, 94,8% dos profissionais foram avaliados e, desses, 97% tiveram seu o Plano Individual de Desenvolvimento (PID) desenhado.